Vila Nova de Gaia aposta nos contentores semienterrados Lasso

Nos próximos dois anos a Sopsa vai fornecer ao município de Vila Nova de Gaia mais de 90 contentores semienterrados Lasso Semi BT. Até ao momento, já estão instalados cerca de 35 contentores, para resíduos seletivos e indiferenciados, de 3m³ e 5m³. Esta é uma aposta continuada desta autarquia, que elege os semienterrados Lasso dadas as suas características de adaptação ao espaço envolvente, maior limpeza urbana e comodidade no acesso dos munícipes aos equipamentos.

No âmbito do sistema de recolha de resíduos urbanos, este município (que foi um dos primeiros a instalar contentores semienterrados de grande capacidade em Portugal) tem em curso um investimento em contentores semienterrados de grande capacidade, com cuba de betão e revestimento em pedra “Lioz” e em “Imitação Madeira”, com placas de plástico reciclado, uma solução mais eco-friendly.

O objetivo é o incremento da capacidade do sistema de deposição de resíduos urbanos e uma menor ocupação do espaço público conseguida através da melhor adaptação deste tipo de mobiliário ao tecido urbano. Vila Nova de Gaia é mais um exemplo de um município que está a substituir a antiga solução de contentorização de superfície para resíduos indiferenciados por contentores semienterrados Lasso, em vários locais das mais diversas freguesias, desde o núcleo urbano, ao litoral e interior, contribuindo para a melhoria da imagem urbana, da higiene, segurança e salubridade pública.

“A opção por este tipo de equipamento e, em particular, pela estrutura monobloco em betão armado pré-fabricado, teve em consideração especialmente a grande estanquicidade e resistência, incluindo a atos de vandalismo; os menores custos  de operação, por força da elevada capacidade de armazenamento, que se traduzem na redução do número de viagens de recolha; bem como na ausência praticamente de manutenção, face à simplicidade do sistema, sem incorporação de sistemas hidráulicos ou mecânicos”, justifica o vereador José Valentim Miranda,  responsável pelo pelouro do Ambiente e Reabilitação Urbana da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

“Acrescem ainda as vantagens comuns aos contentores implantados em profundidade, nomeadamente em termos de higiene e salubridade, reduzindo de forma significativa o contacto com o exterior e favorecendo a presença de temperaturas mais baixas devido à profundidade de armazenamento, com uma decomposição mais lenta dos resíduos e consequente retenção e redução dos maus odores”, conclui o vereador José Valentim Miranda.